O que está acontecendo no mundo?

Olá! Tudo bem? :)

O post de hoje é especial. Ele foi escrito em 2011, quando ainda morava no Chile. Coincidentemente (mas não por casualidade), abri esse post, comecei a ler e a sensação imediata foi: "nossa, preciso compartilhar no blog da Aporé!". Apesar de ter sido escrito há 3 anos, ele é extremamente atual e explica o problema que gerou o nascimento da Aporé :)

"Faz alguns meses que ando refletindo a respeito do mundo. Trabalhando como consultora, tenho a oportunidade de lidar com várias empresas diferentes, com culturas e perfis de pessoas distintos. O que tenho visto é que, apesar das diferenças, há algo que é geralmente comum em todas as empresas: as pessoas buscam constantemente satisfazer os seus superiores e destacar-se com relação aos companheiros de trabalho, nem que para isso elas tenham que ser o que, na verdade, não são... Acredito que isso seja, de certa forma, parte do processo natural de qualquer empresa, afinal a competição é importante... Porém, na minha opinião, falta algo ainda mais importante nas empresas hoje em dia: as pessoas precisam sentir prazer e estar felizes e satisfeitas com o que fazem diariamente. Afinal (acho que falei disso aqui antes), passamos a maior parte da nossa vida trabalhando, e se não estamos felizes e satisfeitos com o que fazemos as chances de sermos infelizes (pessoal e profissionalmente) aumentam.

Dadas as diversas crises econômicas que estamos vivendo nos últimos tempos, os diversos protestos, greves e confrontos a nível mundial, algo está me incomodando: a economia mundial depende das empresas/ONGs/governo; as empresas/ONGs/governo dependem depessoas; as pessoas fazem parte de famílias, as quais são formadas com base nos valores da sociedade atual. Dado que o mundo dos negócios está "perdido", é um grande sinal de que nós, seres humanos, estamos "perdidos" também, afinal, nenhuma decisão em qualquer empresa ou instituição é tomada por computadores ou máquinas... certo???

E bem, voltando ao que conversamos antes (que as pessoas precisam ser felizes no trabalho), é mais do que evidente que muitas pessoas não são felizes com o que fazem. Trabalham pelo simples fato de ter que trabalhar...

As pessoas em geral buscam algo mais além do dinheiro e do conhecimento, mas na maioria das vezes não sabem o que estão buscando, e por não saber o que estão buscando se perdem no meio do caminho...

Fui à uma palestra recentemente e descobri alguns dados interessantes:

Depressão é a 2ª maior doença do mundo entre os 15 e 44 anos;
- Na África não existem problemas de depressão;
61% dos alemães se consideram felizes, enquanto que na Grécia, país em crise, 80% se consideram felizes;
- As mulheres se suicidam menos.

A pergunta que não quer calar na minha cabeça é: "O que está acontecendo no mundo?"

Não sei exatamente o que está acontecendo, mas tenho várias pistas para tentar entender o que está passando na nossa sociedade atual:

- Sabemos do que acontece na vida dos nossos amigos e familiares, afinal todos estamos hiperconectados, mas não conseguimos VIVER com eles suas conquistas, derrotas, alegrias e sofrimentos;
- Pessoas que têm "tudo" (dinheiro, tecnologia, boa qualidade de vida, etc) sentem falta de algo, o que é facilmente identificado nos países mais desenvolvidos (como mostram os dados anteriores);
- A maioria das pessoas não são apaixonadas pelo que fazem no dia-a-dia... Trabalham simplesmente por trabalhar (Vocês já notaram que muita gente tem hobbies que não tem nada a ver com o trabalho que fazem?);
- Muitas empresas estão "paradas no tempo"... se preocupam com hierarquia, superioridade, competição... querem que seus funcionários nunca cometam erros, que sejam perfeitos... não conseguem enxergar que o mundo mudou e que as pessoas mudaram;
- Mesmo em um mundo tão globalizado como o nosso, as pessoas e empresas têm dificuldades em colaborar. Se dependemos tanto uns dos outros, como vamos sobreviver sem isso? Por quê somos tão egoístas?

Acredito que a nossa sociedade está em um dos seus momentos mais lindos e mais difíceis, onde teremos que nos reinventar para seguir adiante... Como? Não sei, acho que ninguém encontrou a resposta certa ainda... rs

O que sim sei é que cada ser humano, em cada realidade, tem necessidades e desejos distintos. Um africano busca coisas diferentes da vida quando comparado com um americano, o que não quer dizer que um seja melhor que o outro, certo? Acho que a solução parte pela colaboração e compreensão do próximo, aceitando as diferenças, sem pensar que somos superiores ou inferiores a qualquer outra pessoa... e no dia em que as empresas/ONGs/governo entenderem isso, quem sabe o mundo não será um lugar melhor? =)"

Um forte abraço!
Marina.

Marina Trindade